sexta-feira, 12 de setembro de 2008

IRA

Fujo das pessoas e lamento
Num canto esquecido do mundo
A solidão diminui o meu tormento
Cavo a cova, quero ir ao fundo...

Daqui quero sair e correr
Me seguram, socorro! não quero morrer
Todos tentam me agarrar
Para isso, força irão precisar...

Meu coração está esfriando
O temor se abate sobre mim
Medo de perder o comando...

Preciso conter a minha ira
Quase ninguém tem culpa
Mas mesmo que eu prefira...

Um comentário:

Luz & Black Pensados e Escritos disse...

Esse soneto não reflete meu sentimento atual...Estou legal!